sábado, 19 de abril de 2008

DOU-TE MEU CORAÇÃO


DOU-TE MEU CORAÇÃO
Jorge Linhaça

Dou-te o meu coração:
Arrancado assim do peito
pelos dedos da paixão...
Prometes cuidar direito?

Olha... ele está sujeito,
a parar de supetão...
Se não o pegas com jeito
morre, ele, em tuas mãos.

Sei que parece despeito,
falar de minha ilusão,
por eu ser tão imperfeito
ao cantar minha emoção.

Apanha-o com carinho,
extirpa-lhe a solidão,
coloca, do teu, juntinho...
sejamos um só, então.

01/03/2008
11:56



todo mi cariño besos del alma Betty


LA DAMA DEL LAGO
Jorge Linhaça

Cierta vez, hermosa dama,
desalentada de la vida,
en un día de la semana,
se fue al lago, entristecida.

Llevaba, en las manos, un buqué,
añoranza de su amado,
que acabará de perder,
acusado de pecados.

La dama, en aquella sangra,
entró y no volvió mas,
cambió la leyenda tropical,
para los que sufren de amor.

En las noches de luna nueva,
cuando el lago es sólo silencio,
dicen que ella retorna,
para entonar su lamento.

Amantes apasionados,
en el lago hacen vigília,
esperando que su hado
escape de esa armadilla.

Arrojan flores en el agua,
para la dama del lago,
para apararles las amarguras
del corazón machucado.

04/04/2008
5:00 hs

Um comentário:

Vania de Castro disse...

Caro Linhaça,
O seu blog está muaravilhoso! Passarei mais vezes para viajar nas asas da poesia.
Abraços,
Vania de Castro