sábado, 29 de setembro de 2007

SOB A LUZ DO LAMPIÃO
Jorge Linhaça

Vagueio pela noite, insone, solitário
sob a luz dos lampiões das avenidas
pensando na angústia de minha vida
fazendo do soneto o meu corolário

Sob a luz do lampião, esmaecida,
estanco e rememoro este meu fadário
as alegrias guardadas no relicário
as emoções a tanto tempo contidas

As sombras da rua minh'alma sombreiam
invade-me com força essa melancolia
a dor e a solidão já ora me desnorteiam

A luz do lampião é a minha companhia
as mariposas que ali borboleteiam
esperam comigo o raiar do novo dia

4 comentários:

P@ulo Monti disse...

Olá, meu amigo!
Parabéns pela iniciativa e pelo novo espaço. Que seja o berço de novas e belas poesias.
Um abraço poético

Amália Lopes disse...

OLÁ AMIGO
ANDEI PASSEANDO NESTE ESPAÇO DE LUZ.
TODA A POESIA É CHEIA DE LUZ, DE AMOR, E MUITAS VEZES DE SOLIDÃO.
AMEI!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Tambem escrevo solidão e ilusões passa por lá.
Beijo de sol e luz em teu coração
amália

Marise Ribeiro disse...

Querido Linhaça,

Parabéns pelo teu novo espaço, torcendo daqui para que ele se torne um sucesso, já que a tua poesia e o teu coração já são os maiores ingredientes para isso.
Meu carinho e um grande beijo,
Marise Ribeiro

Célia Jardim disse...

Jorge, parabéns pelo blog!
Ontem entrei e deixei meu comentário, mas ele não entrou!?
Bom vc criar um cantinho onde a gente possa ler vc sossegadamente!
Muito sucesso pra vc aqui, ali e onde mais vc possa estar!
Beijo
Célia Jardim