domingo, 25 de novembro de 2007

A CHUVA EM NOSSO CORPO

A CHUVA EM NOSSO CORPO
Jorge Linhaça

Cai a chuva em nosso corpo,
molhando-nos em gotas mornas
que de tua taça entornas
e que eu sorvo assim absorto

Encharcados de chuva e paixão;
Teu vestido colado em ti...
Tua mão a buscar me sentir:
Somos fogo, desejo, tesão.

As roupas despidas, molhadas...
se transformam em nosso lençóis,
Eu, tu, a chuva e a estrada

Nosso corpo a arder qual mil sóis:
Dois amantes na madrugada,
a viver o prazer que há em nós



Um comentário:

gal disse...

Jorge, lindíssimo poema, encontramos nele : desejo, sensualidade, tesão , na medida certa...
Cheiro!